Consequências da Gripe A

Neste blog de saúde continuamos fornecendo-lhe tudo o que você precisa saber sobre as conseqüências de lagripe A. nesta ocasião, refletimos sobre a iminente chegada do frio e sua possível interação com o H1N1: será que é pior que a gripe A no inverno? Embora não deverá ser maiores contratempos, é conveniente tomar medidas de precaução.

Você já sabe que mais vale prevenir do que remediar. Em princípio, o inverno é uma época em que aumentam as infecções das vias respiratórias, que, por outro lado, são as mais afetadas pela gripe A. Por isso, é mais que possível que aumentem os casos de gripe A no inverno. Se a isto acrescentamos que os pacientes que sofrem problemas respiratórios (sejam eles crônicos ou temporários) tendem a sofrer mais acidentes brônquico nos meses frios de inverno, a coisa pode ser ainda pior.
Mas não te alarmes, já que realmente não sabemos o que vai acontecer, nem como se vai comportar a gripe A no inverno, já que não se sabe como atuarão os vírus com o frio, apesar de que pode servir de referência a virulência da gripe A em países do hemisfério sul, como a Argentina, onde já passaram o inverno.
Por outro lado, há que ter em conta que, no inverno, os hospitais estão cheios de pessoas com sintomas de gripe A, já que as infecções respiratórias são mais comuns. Por isso, parece ser que no inverno se pode dar mais casos de gripe nesta época do ano, os constipados e as gripes são comuns.

Além disso, o clima (frio intenso), as mudanças de temperatura e os referidos problemas bronquiais, podem aumentar os casos de gripe A no inverno. Insisto, os meses mais frios do ano são mais propensos para ter problemas respiratórios, por isso há que ter cuidado e tomar todas as medidas de previsão que sejam possíveis: mais vale prevenir do que remediar. São algumas das consequências mais comuns da gripe A.