Endometriose pélvica

A endometriose é uma doença que afeta as mulheres, especialmente durante os anos férteis. A partir deste blog de saúde apresentamos mais detalhes da endometriose pélvica, em que a própria palavra endometriose vem de endométrio, o tecido que recobre a parede interna do útero.

A endometriose pélvica é caracterizada pela formação de nódulos na zona dos ovários, das trompas de Falópio e do revestimento da cavidade pélvica. De fato, para definir com mais precisão em que consiste a endometriose, podemos apelar para a RAE, que diz que é a “formação de mucosa uterina em órgãos diferentes do útero”.
Estes problemas na zona dos ovários faz com que a mulher tenha dores com relativa freqüência, principalmente antes da menstruação. Além disso, a endometriose pélvica costuma associar-se com a infertilidade.
Para diagnosticar a endometriose podem-se ter em conta diferentes técnicas, como a palpação, a ultra-som, Ultra-som vaginal, o TAC (ou ressonância magnética), a Cistoscopia, a Laparoscopia ou mesmo uma Terapia hormonal.
Um dos primeiros e mais comuns tratamentos para a endometriose são os anticoncepcionais, os quais são compostos de estrogênio e progesterona e aliviam os sintomas, especialmente quando a endometriose é leve e não apresenta muitas dores à mulher. Além disso, os contraceptivos têm menos efeitos colaterais do que outros medicamentos.
Agora, há ocasiões em que a própria dor ou os problemas de fertilidade impedem a mulher de ter relações sexuais prazerosas ou, até mesmo, levar uma vida normal, já não é apenas o sexual, já que também pode ser afetada em seu ânimo e causar impacto em seu ambiente social. A homeopatia é uma outra terapia a que se pode dirigir a uma mulher que tenha esse problema.

Não obstante, a melhor recomendação é que consulte um especialista.